Corpos enroscados
suados, melados
em busca da
mais pura
essência
do
prazer...

(Rafael Junior)

domingo, dezembro 09, 2007



Círculos de fogo


Nas labaredas dos olhos

Ardem sonhos devassos

Círculos de fogo

Palco iluminado

Prefácio do nosso ato...

Gosto de adivinhar

O que dizem os seus olhos

Abrir as cortinas

Penetrar suas retinas

Descobrir sua se(Creta) ilha

Seguir sua trilha

Te despir sem te tocar...

Te provocar...

Testar seus instintos

Até o limite máximo do olhar

Abismo profundo

Não é possível voltar

Rompemos os círculos

Nos atiramos no fogo

Deixamo-nos queimar...

(Raiblue)

Um comentário:

Improper Mind disse...

Um olhar pode tudo, nos despe sem nos tocar, isso mesmo. Belíssimo poema, parabéns Raiblue!

Confira minha história. Tem lá um olhar que tudo pode, irresistível e estimulante!

Abraços.